Vem cá, o que você sabe sobre cachaça?

Por Gustavo Jazra

Parati, branquinha, aguardente, pinga, água que passarinho não bebe… E esses são apenas alguns dos nomes e apelidos que a cachaça ganhou ao longo de sua história, que se confunde com a do próprio Brasil! Isso é, sem dúvida, reflexo de anos de intimidade com esse destilado da cana-de-açúcar, bebida muito presente na vida dos brasileiros. Mas,vem cá, o que você sabe sobre cachaça?

Fazer essa pergunta pode ser um bom ponto de partida! É justamente por ser tão costumeira que pensamos conhecê-la tão bem, quando, no fundo, mal sabemos ao certo como degustá-la ou até mesmo como escolher um bom rótulo. Cachaça se degusta? Cachaça pode ser gourmet? Chega de enrolar, está na hora de aprender!

Tipos de cachaça: Branca, Prata ou Ouro?

Uma das primeiras coisas a se olhar no rótulo é a classificação quanto à cor. “Branca” é a cachaça translúcida, que sai do alambique e é logo engarrafada. Essa cachaça costuma ser mais simples que as demais, mas nem por isso perde seu valor. Tem aromas e sabores de cana-de-açúcar, garapa e até rapadura.

Já a cachaça “prata”, mesmo sem mudança na cor, é envelhecida ou armazenada em madeira, o que a dá características diferentes. A “ouro”, portanto, é a cachaça envelhecida que adquire também cor durante o estágio em madeira. “É a madeira que vai dar o aroma e o sabor para a cachaça”, afirma Leandro Batista, sommelier de cachaça do restaurante Mocotó e o primeiro profissional a receber tal denominação no país.

Cachaça para beber pura ou para fazer drinks?

Muito se fala sobre a cachaça branca ser indicada para fazer drinks, enquanto que as versões prata e ouro devem ser degustadas puras. Mito ou verdade, a cachaça branca chega ao equilíbrio desejado com mais facilidade, até por serem menos complexas que as envelhecidas.

“Todo mundo acha que tem que ser só com a branca, e dá para fazer com outras cachaças envelhecidas. Só tem que escolher muito bem porque a caipirinha tem que ser harmoniosa – nem sobressair o sabor da fruta, nem do álcool, nem nada”, conta Batista sobre elaborar caipirinhas com cachaça envelhecida.

Principais madeiras para cachaça

Vinhos e outras bebidas, como uísque, conhaque, rum e tequila, costumam estagiar em barril de carvalho, período no qual adquirem outras características, chegando a maior complexidade. Com a cachaça não é diferente! Quer dizer, é um pouco… A bebida é muito mais versátil que as outras e, em vez de somente carvalho, aceita uma variedade muito grande de madeiras. “Há aproximadamente 24 madeiras em que pode se envelhecer cachaça, e cada uma vai dar um aroma e um sabor diferente”, afirma o sommelier.

Amendoim: assenta o caráter da bebida. Mesmo sofrendo redução na graduação alcoólica e na acidez, possui intenso perfume e sabor de cana-de-açúcar. Ao longo do envelhecimento, sua cor vai se convertendo em amarelo claro.

Bálsamo: conhecida por deixar a cachaça super aromática, o bálsamo também empresta alguns sabores amadeirados à bebida. A cor, por sua vez, de pardo escuro, pode chegar a tons avermelhados ou dourados.

Carvalho: trazidas pelos portugueses no século 16, foram provavelmente as primeiras utilizadas para armazenar cachaça. O carvalho amacia a bebida e deixa as tão faladas notas de baunilha, o que dá até a impressão de leve doçura. Não fosse a cor, amarelo claro, poderia se passar facilmente por uísque.

Castanheira: espécie brasileira mais próxima do carvalho, conhecida como “o carvalho nacional”, deixa sabor levemente doce, lembrando até a própria castanha-do-pará. A cor também fica entre tons de amarelo claro.

Ipê: madeira importante que dá maciez à cachaça. A cor é, sem dúvida, sua marca registrada: alaranjada.

Jequitibá: por não alterar a cor, as cachaças que envelhecem entram na categoria prata. Apesar disso, diminui a acidez e dá maciez à bebida.

Umburana: com menor acidez e teor alcoólico, a cachaça que sai da umburana é geralmente mais suave. Com a cor amarelada, é levemente adocicada.

Blends
Ah, as “blendagens”…  Em poucas palavras? Misturas de cachaças envelhecidas em diferentes madeiras. Elas definitivamente merecem um capítulo a parte – até lá!

Serviço:
Restaurante Mocotó
Enredeço: Av. Nossa do Loreto, 1100 – Vila Medeiros. São Paulo – SP
Telefone: (11) 2951-3056

FONTE

0 comments on “Vem cá, o que você sabe sobre cachaça?Add yours →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Você precisa ter no mínimo 18 anos para ver este conteúdo

Favor confirmar sua idade

Fale Conosco